sexta-feira, 13 de maio de 2011

Sobre tecidos e estampas - Parte II

Continuando nossa conversa sobre tecidos, iniciada aqui, vou falar agora sobre a preparação do tecido para o corte.

3. Lave, seque e passe o tecido
Antes de qualquer posicionamento do tecido, é preciso verificar se ele é do tipo que encolhe.
Eu adoro tecidos feitos com fibras naturais, como o algodão e o linho. Adoro a textura, seria capaz de ficar horas passando a mão neles.

Mas vocês já repararam que eles saem da fábrica esticadões, até meio armados? Isso acontece porque as fibras do tecido estão tensas, super estiradas, com ar entre elas. Depois que lavamos, elas tendem a ficar mais juntinhas e por isso o tecido pode encolher um pouco.

Isso acontece com os tecidos naturais, mas pode ocorrer com alguns sintéticos, como a viscose. Mas de modo geral, os sintéticos não encolhem, no entanto eles são bem menos macios do que os naturais.
Mas na dúvida, é sempre melhor lavá-los, porque além do encolhimento, tem tecidos que soltam tinta na primeira lavagem.

Então, depois de decidirmos nossa peça e comprarmos o nosso tecido, vamos colocá-lo de molho (dobrado, como veio da loja) no tanque ou numa bacia. Depois tiramos o excesso de água sem torcê-lo e botamos pra secar à sombra (não usem a secadora, e sim o varal).

Depois de seco, passamos o tecido com o ferro, sempre do avesso e sem deslizar. Passá-lo evita que ele solte tinta e suaviza a terxtura (deixando-o bem mais fácil para costurar).

De vez em quando eu dou o balão nesse processo por pura preguiça, quando vou fazer peças que não serão lavadas (como o meu bantô). Mas sempre, SEMPRE, fico com a consciência pesada, hahahahaha.

4. Por fim, posicione o tecido para o corte
Então, agora vamos nos preparar para cortar o tecido.
No começo ficava nervosaça na hora de cortar o tecido. Eu tinha um super receio de fazer besteira. Então comecei a prestar tanta atenção que hoje é difícil errar.
Mas de vez em quando eu me pego raciocinando um tempão, tomando uma decisão e quando vejo: puf, dei mole. Mas abafa.

O tecido é formado por vários componentes, lembram do esquema?
- ourela: é a extremidade mais grossa do tecido, como se fosse um acabamento, que acompanha o comprimento.
- teia: fios longitudinais, no sentido do comprimento e da ourela.
Normalmente, cortamos as partes do nosso molde com o fio paralelo à ourela, e ela em direção ao solo, mas isso depende do caimento que se deseja. Esse tipo de caimento chama-se reto e faz a peça ser menos volumosa, mas você pode querer uma peça mais armada ou mais enviesada, né?
- trama: fios transversais, no sentido da largura. O caimento chama-se a atravessar e você pode adotá-lo caso queira uma roupa mais armada. Eu nunca experimentei, nem sei falar muito sobre como fica.
- viés: é a diagonal do tecido. O corte no sentido do viés corta os fios e seu caimento é mais suave, mais elástico. Um exemplo rápido é a saia godê.



Agora, dobre o tecido de modo que as ourelas se encontrem, ou pelo menos fiquem paralela uma à outra, e posicione os moldes.

Para finalizar, um esqueminha do Grande Livro da Costura (que agora chama Bíblia da Costura), para ajudá-las a dispor os moldes no tecido (clique nele para ampliar).

 



Você poderá gostar de

Um comentário:

  1. Nega, acho que nem vou mais que fazer um curso de corte e costura! Vc é tão didáctica que já resolve.
    Apesar de já ter feito algumas roupas eu não sabia desse lance de lavar antes. Vou fazer o teste, Valeu , Miloca!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...